É tradicional no Departamento de Sociologia, remetendo-se ao antigo Departamento de Ciências Sociais e à obra de Roger Bastide. Enfoca tanto as instituições religiosas na sua pluralidade – igrejas católicas e protestantes, orientais tradicionais e recentes, centros espíritas, terreiros de candomblé, de umbanda e assemelhados, circuitos esotéricos - quanto as formas populares de sua expressão, como o catolicismo rústico, as diversas formas de pentecostalismo, além dos cultos afrobrasileiros já referidos. A área não descura também dos movimentos religiosos leigos, como os messiânicos tradicionais e os carismáticos atuais, entre tantos outros. Por fim, não se restringe apenas ao estudo dos fenômenos religiosos em sua especificidade, mas contempla também suas interfaces com os recortes de gênero, faixas etárias, classes sociais, da participação política de seus agentes, etc.